Proventos: o que são e como viver de renda com eles?


Você já deve ter ouvido falar sobre proventos. Então, é hora de descobrir como utilizá-los para conquistar seus objetivos!


O sonho de muitas pessoas é se organizar financeiramente e ser capaz de viver com renda passiva. Ou seja, aquela que não é fruto de um trabalho direto — seja por aposentadoria ou mesmo por independência financeira.


Uma maneira de alcançar esse objetivo é investir seu dinheiro. Em especial, em ativos que paguem proventos. Investidores que têm uma visão de longo prazo e busquem por recebimento de renda passiva podem construir um patrimônio desta forma.


Quer saber mais sobre o assunto? Confira a seguir algumas informações que lhe ajudarão a entender o que são e como viver de renda com os proventos!


O que são proventos?


O conceito de proventos se refere, basicamente, a formas de remuneração pagas por uma empresa ou gestora (no caso de fundos de investimentos). A principal forma de recebê-los é aportando em ações ou cotas de fundos que distribuem tais benefícios aos investidores.


Os proventos estão relacionados aos lucros da empresa ou do fundo. Assim, depois de pagar custos ou realizar eventuais reinvestimentos dos lucros, as instituições podem dividir com os acionistas ou cotistas uma parte dos ganhos.


Existem diversos tipos de proventos no mercado financeiro. Conheça mais detalhes sobre eles a seguir!


Dividendos


Os dividendos provavelmente são o tipo de provento mais conhecido no mercado. Sua popularidade se deve a serem também o tipo mais distribuído pelas empresas e fundos. Então, os investidores têm acesso a eles com mais frequência.


Basicamente, os dividendos representam uma fatia dos lucros obtidos no negócio. Eles são distribuídos depois que a empresa ou fundo paga o Imposto de Renda correspondente. Então, o recebimento de dividendos pelo investidor é isento de IR.


O percentual e a frequência de distribuição de dividendos dependem de cada empresa — e as informações devem constar no estatuto dela, para informar os interessados. Em caso de fundos de investimento, existem regras específicas.


Os fundos imobiliários são os mais conhecidos por distribuir dividendos frequentemente. É comum que o compartilhamento de lucro seja mensal. Além disso, eles são obrigados por lei a dividir a maior parte dos seus ganhos com os cotistas.


Juros sobre capital próprio


Os juros sobre capital próprio ou JCP são um tipo de provento bastante semelhante aos dividendos. A diferença mais marcante é que sua distribuição se dá antes do pagamento de impostos. Assim, diferente dos dividendos, eles não se referem ao lucro líquido.


Consequentemente, os investidores ficam responsáveis por pagar o Imposto de Renda correspondente ao valor depois de receberem os juros. A alíquota é de 15% sobre o montante.


Tanto os dividendos quanto os juros sobre capital próprio são pagos em dinheiro. O valor é recebido na sua conta do banco de investimento utilizado para realizar as operações de compra e venda de ações.


Bonificação


Além dos proventos pagos na forma de dinheiro, existem outras maneiras pelas quais as companhias de capital aberto podem beneficiar seus acionistas. Uma delas é a bonificação. Nesse tipo, o benefício é pago em ações.


Ou seja, a companhia decide transformar parte do seu lucro em reservas de capital social, emitindo novas ações. Depois, elas são distribuídas aos acionistas de maneira proporcional à quantidade de papéis que cada um já tinha originalmente.


A bonificação é uma espécie de provento porque gera um retorno ao investidor. Recebendo mais ações de maneira gratuita, ele pode incrementar seu patrimônio e aumentar seus ganhos no longo prazo tanto com valorização quanto com dividendos.


Direitos de subscrição


Por fim, os direitos de subscrição são outro tipo de benefício que as empresas podem oferecer aos investidores. Eles também funcionam a partir da emissão de ações. Mas a particularidade é que elas não vêm gratuitamente.


Como o nome indica, é dado o direito do investidor comprar novos papéis, se for do seu desejo. O tipo de provento acontece quando uma companhia decide aumentar seu capital social. Então, ela precisa dar a preferência de aquisição para os acionistas atuais.


O direito de subscrição visa preservar a proporção de ações que cada investidor tem. Além disso, o preço a ser pago pela compra dos papéis costuma ser menor do que o de mercado — o que também é uma vantagem para os acionistas.


A maioria dos diretos de subscrição são negociados em bolsa, portanto se você não quiser subscrever, pode vender no mercado e receber o valor em conta.


Como se dá o pagamento de proventos?


Como você viu, os proventos são vantagens pagas geralmente por empresas de capital aberto. Ou seja, a principal forma de recebê-los é investindo no mercado de ações. Alguns fundos de investimentos, em especial os imobiliários, também oferecem o benefício.


O pagamento em dinheiro se dá de forma simples, como mostramos, com depósito direto na conta do banco de investimentos utilizado pelo investidor. Os outros tipos envolvem características diferentes, como pagamento em ações ou em direitos de subscrição.


Em relação às datas de pagamento dos proventos das ações é importante ficar atento a alguns fatores. Por exemplo:

  • A data de declaração: é o dia em que a companhia faz o anúncio de que terá distribuição de proventos — passando as informações básicas sobre valores e prazos;

  • A data de registro: data em que a empresa registra todos os acionistas que podem receber parte do lucro;

  • A data ex-dividendo: depois dessa data, não é possível modificar o nome de quem receberá os proventos. Ou seja, quem adquirir ações a partir do período não terá direito a este recebimento, pois o dinheiro irá para o proprietário anterior;

  • A data de pagamento: é o dia do pagamento dos proventos, propriamente dito.


Como viver de renda passiva?


Se você deseja viver de renda passiva pode considerar a estratégia de montar uma carteira com foco em proventos. Muitos investidores têm um objetivo assim e procuram especificamente por empresas que costumam pagar bons dividendos.


Um dos cuidados centrais ao adotar essa visão é analisar a qualidade das companhias nas quais você investe. É interessante utilizar a análise fundamentalista e avaliar se os negócios são sólidos e apresentam boas perspectivas no longo prazo.


Adquirir cotas de fundos imobiliários também pode ser uma opção interessante para diversificar uma carteira voltada a dividendos.


Além disso, uma tática para impulsionar seu patrimônio é reinvestir os dividendos recebidos. Ao longo do tempo, seu lucro rende novos proventos e a carteira pode apresentar resultados cada vez maiores.


Agora você sabe que é possível realizar seu plano de aposentadoria ou de independência financeira utilizando os proventos. Então aproveite as informações que acompanhou neste post para se planejar. E não deixe de considerar seu perfil de investidor e seus objetivos na hora de investir!


Quer começar a contar com o suporte do maior banco de investimentos da América Latina para realizar seus aportes? Abra uma conta no BTG Pactual digital!



O conteúdo disposto neste artigo foi originalmente publicado no blog do BTG Pactual Digital, sendo toda a responsabilidade, direitos autorais e crédito devido a seus autores.