Análise Técnica x Análise Fundamentalista: Como avaliar as empresas na hora de investir?

Você que se interessa por investimentos já ouviu falar nas diversas técnicas existentes para analisar o mercado de ações. Entre todas elas, duas se destacam como grandes preferências: a análise fundamentalista e a análise técnica ou grafista.


Mas afinal, qual é a melhor maneira de avaliar empresas e suas ações para obter os melhores resultados no mercado de ações? Análise técnica ou análise fundamentalista? Este é o tema do artigo de hoje.


Análise Fundamentalista


A análise fundamentalista reúne uma série de técnicas a partir das quais são traçadas projeções de resultados e determinados os preços justos para as ações das empresas. Nesta técnica entram a análise de balanços, análise setorial, análise econômica, estudo da gestão da empresa e tendências de consumo.


Um analista que utiliza a técnica fundamentalista vai projetar o resultado da empresa baseado em diversos indicadores. Contratação de pessoas, compras de equipamentos, importações, dados da concorrência, entre diversas variáveis, são imputadas em uma planilha. A partir dessas informações é avaliado como se comportarão o fluxo de caixa e a provável distribuição de resultados da empresa.


É com base nessa projeção detalhada da vida financeira da empresa nos próximos anos que se identifica uma oportunidade de aumento no preço das ações (conhecido como upside) e uma indicação de compra do ativo.


É uma análise bastante complexa, mas com algumas ferramentas simples que podem ser utilizadas até por investidores menos experientes. Entre elas está a simples atenção a todo tipo de notícias que, no âmbito do negócio, pareçam ser muito positivas para a empresa, como anúncio de grandes lucros, faturamento recorde, descoberta de grandes jazidas, entre outras novidades.


Assista a seguir o vídeo de uma live realizada no canal do Youtube do BTG Pactual digital que trata o assunto detalhadamente.



Análise Técnica


A análise técnica ou grafista vai para o outro lado e estuda os mercados a partir da evolução dos gráficos de preço dos diversos ativos ao longo do tempo, nos quais se identificam padrões que tendem a se repetir. Muitas pessoas, preconceituosamente, associam a ideia da análise técnica a aposta, o que não é verdade.


A análise técnica é um estudo estatístico, baseado na evolução do preço de um ativo, que pode anunciar alguma mudança de comportamento. Exemplo: um papel que apresenta comportamento de alta consistente ao longo do tempo pode, em algum momento, mostrar no gráfico que esta alta está sendo perdida. Os traders, a partir dessa análise, entendem que pode começar um processo de perda de valor dessa ação.


Para um grafista, a lógica é: se o gráfico do preço de uma ação começa a desenhar um determinado padrão, ele supõe que esse padrão vai se completar, antecipando assim altas e baixas.


Funciona? Geralmente sim. A esmagadora maioria dos traders mais ativos são, predominantemente, grafistas, o que reflete diretamente no funcionamento do mercado, especialmente no curto prazo.


Também há um vídeo no canal que explica melhor a análise técnica. Nele, você pode obter uma explicação mais completa sobre o tema.



Análise Técnica x Análise Fundamentalista: qual escolher?


Dito isso, afinal, qual a melhor escolha para os seus investimentos: a análise técnica ou análise fundamentalista? A resposta é: depende.


Enquanto a análise fundamentalista exige conhecimento de um volume colossal de informações que nem sempre é acessível de maneira uniforme para todos os analistas, gerando divergências em recomendações de diferentes profissionais, a análise técnica tende a encontrar maior consenso entre os analistas, já que utiliza elementos lógicos como base dos seus estudos.


Ao mesmo tempo, enquanto a análise fundamentalista tende a ser mais certeira em longo prazo, a análise técnica, bem-feita, acerta muito em escolhas de curto prazo, mas, nas poucas vezes em que erra, pode gerar perdas muito significativas.


Enquanto a análise fundamentalista se baseia no passado para tecer considerações para o futuro da empresa, a análise técnica se baseia apenas no histórico da ação, ignorando o que o futuro pode reservar para a empresa, possibilitando algum prejuízo em seus resultados.


#DICA BTG: Todos os dias, em nosso canal do Youtube, você pode acompanhar a Sala de Análise ao vivo. Durante todo o pregão nossos analistas analisam o mercado e fazem recomendações de ouro para te ajudar a encontrar boas oportunidades na Bolsa. Acompanhe!


Conclusão


Minha sugestão para você não é escolher entre uma e outra, mas, sim, combinar as duas análises para embasar suas escolhas. Decida em quais papéis investir nos próximos meses com base nos relatórios completos de análise fundamentalista, considerando sempre mais de duas opiniões para se pautar.


Mas na hora de comprar, jamais deixe de considerar a análise técnica ou grafista. Isso pode impedir você de agir por impulso diante do bom momento do papel que pretendia comprar e decidir fazê-lo no momento que seria de venda para milhares de investidores.


Assim como decidir entre praia e montanha, doce e salgado, frio e calor, existem muitas situações em que a melhor escolha é poder contar com ambas as opções.


Faça o mesmo com os seus investimentos. Tenho certeza de que isso ajudará você a ter resultados cada vez melhores em seu projeto de construção de riquezas.


Leia também: 





O conteúdo disposto neste artigo foi originalmente publicado no blog do BTG Pactual Digital, sendo toda a responsabilidade, direitos autorais e crédito devido a seus autores.