Lições aprendidas com a crise financeira atual | Gustavo Cerbasi


Nesta fase de quarentena e crise financeira, algumas lições (boas e ruins) estão sendo aprendidas.


Compartilho algumas delas neste artigo, com a finalidade de lidarmos melhor com as diversas crises (em menor ou maior intensidade) que acontecerão ao longo da sua jornada.

Analise a sua postura diante da crise financeira


Neste período turbulento, é muito claro perceber a existência de 3 tipos de posturas diante da pandemia:


Medo: Neste grupo, as pessoas ou estão em pânico com suas finanças, pela drástica redução na renda ou ausência de reservas para atravessar a crise financeira; ou angustiadas com cada notícia ruim que veem nos sites ou nos grupos de mensagens por aplicativos, chegando a fazer estoques altíssimos de produtos em casa. Estas pessoas simplesmente ficam paralisadas e não conseguem encontrar soluções.


Aprendizado: Este grupo está passando por um aprendizado muito doloroso. Muitas pessoas que recentemente começaram a investir em bolsa de valores, utilizando uma parte considerável do seu patrimônio, estão aprendendo de forma muito dura que a renda variável, como o próprio nome diz, tem oscilações em seus preços. Estas pessoas não estão focadas em compartilhar fake news, mas, sim, em fazer um replanejamento familiar, financeiro e de carreira.


Crescimento: Este grupo, onde estão os meus alunos do Curso Inteligência Financeira, fez o dever de casa. Estas pessoas criaram reserva de emergência e montaram uma estratégia de investimento balanceada, de acordo com seus objetivos, com uma alocação adequada em renda variável. Aproveitam o momento para comprar ativos subvalorizados durante a crise financeira.


Algumas lições aprendidas


Ao longo da minha carreira, as lições abaixo foram amplamente divulgadas em meus livros e vídeos. Em algumas épocas, principalmente aquelas de otimismo com a renda variável, recebi críticas. Mais do que nunca, estas técnicas se mostram atemporais e o ajudarão a se blindar contra crises como a que estamos vivendo.


Crie uma reserva de emergência


Primordialmente, você precisa ter uma reserva financeira, alocada em um bom produto de renda fixa e com possibilidade de resgate imediato, equivalente a 2-3 meses dos seus gastos mensais.


Confesso que este volume, da forma como sempre orientei, é insuficiente para que alguns profissionais atravessem esta crise financeira. Por isso a importância de você manter os pés no chão nos momentos de euforia e ter uma reserva de segurança disponível.


Não aposte todas as fichas na renda variável


A renda variável é uma grande aliada para a construção de riqueza no LONGO PRAZO. Estude os investimentos disponíveis, avalie os fundamentos e os riscos antes de explorar esta classe de ativos. Investidores que fazem esta lição de casa sabem que, quando o valor do ativo investido cai, não perdem dinheiro, apenas têm algo da economia real (ações, imóveis, cotas de uma empresa) com preço menor.


Periodicamente, este investidor vai avaliar os fundamentos do ativo em questão e compará-lo com outras sugestões que surgem no mercado. O investidor inteligente saberá que a carteira em renda variável faz parte de uma estratégia balanceada, que também envolverá ativos de Renda Fixa.


Não encare a perda como um fato traumático


Muitas pessoas decidem nunca mais investir em bolsa de valores ao ver seu patrimônio reduzir significativamente na compra de determinado papel. Encare esta perda como um custo — doloroso — do aprendizado.


Claro, existem caminhos mais “baratos” para aprender. Normalmente, as pessoas que ouviram as dicas de ações do momento de um Youtuber ou do vizinho expert em mercado financeiro sofreram as maiores perdas. Cuidado com esse tipo de orientação, pois, para cada momento da vida, existem estratégias financeiras diferentes.


Não se iluda com o mercado “real”


Muitos investidores acreditam que, se tivessem colocado seu dinheiro em imóveis, estariam protegidos diante da crise financeira.


Isto não é verdade. Como estamos com a economia parada, imóveis não estão sendo vendidos e, portanto, não é possível saber se esses ativos serão vendidos pelo mesmo preço praticado antes da crise.


Tenha um orçamento resiliente


Tenha um padrão de gastos que seja inferior à sua renda. Assim, haverá uma sobra em caixa para fazer coisas que são importantes para você, como lazer, viagens, experiências e cuidados pessoais. Estes tipos de gastos podem ser facilmente remanejados em momentos de crise financeira.


E tenha um orçamento flexível, com custos fixos que possam ser rapidamente reduzidos em períodos turbulentos.

Conclusão

A inteligência financeira consiste em:


  1. Preservar o presente, mantendo a qualidade de vida;

  2. Cuidar do futuro; e

  3. Entender o mercado de investimentos e suas oportunidades.


Pessoas que estão sofrendo mais com a crise financeira pularam alguma dessas etapas.


Espero que estas lições ajudem você a ter um futuro mais próspero e rico em experiências.


Acompanhe os vídeos do Gustavo Cerbasi. Inscreva-se em nosso canal do YouTube.


Você também pode gostar:



O conteúdo disposto neste artigo foi originalmente publicado no blog do BTG Pactual Digital, sendo toda a responsabilidade, direitos autorais e crédito devido a seus autores.