Como organizar sua vida financeira? Confira 9 dicas essenciais!

Organização é a palavra-chave quando o assunto é ter uma vida financeira mais estável. É comum passarmos por momentos de frustrações, superações, dificuldades e conquistas. No entanto, é importante ter planejamento para equilibrar as suas finanças.


A organização ajuda a diferenciar gastos importantes dos supérfluos e a iniciar os seus investimentos, por exemplo. Dessa forma, você pode reestruturar suas economias e começar a construir patrimônio para realizar seus objetivos.


Neste artigo, você verá 9 dicas essenciais para organizar a sua vida financeira e ter mais

tranquilidade no futuro. Confira!


1.Invista em educação financeira


Infelizmente, nem todos os brasileiros tiveram acesso à educação financeira ao longo da vida. Esse conceito vai muito além do que simplesmente falar sobre dinheiro ou preencher uma planilha com os seus gastos. É um conhecimento que nos leva à liberdade financeira.


Ao estudar sobre o assunto, você ganha mais consciência da sua relação com o dinheiro. Pessoas educadas financeiramente passam a fazer escolhas mais conscientes e descobrem que a conquista dos objetivos é mais rápida quando há planejamento.


Assim, a educação financeira ajuda a viver com mais tranquilidade e evitar dívidas, por exemplo — construindo um futuro mais próspero.


2.Organize suas contas pessoais


Organização é um fator essencial para quem pretende desenvolver o controle financeiro. Também é uma das exigências primordiais para um bom planejamento financeiro pessoal.


Existem diversas formas de organizar as contas. Até mesmo um controle financeiro pessoal simples é capaz de garantir bons resultados. Ele pode ser feito com um caderno no qual você anota os valores das receitas e das despesas mensais.


Também é possível usar planilha ou aplicativo. Com as informações registradas, será mais fácil entender com o que você gasta dinheiro. Dependendo da situação, é viável mapear gastos supérfluos e buscar formas de economizar para ter mais recursos disponíveis.


3. Aprenda a economizar


Você faz compras por impulso? Ou prefere esperar e analisar se aquele item que deseja comprar realmente é necessário? Esse é um problema comum na vida de muitas pessoas. Afinal, todo o sistema varejista é programado para incentivar as compras.


As promoções parecem sempre únicas e imperdíveis. Por isso, é importante tentar deixar as emoções de lado e controlar os seus impulsos na hora de comprar.


Você também pode tentar mudar alguns hábitos para economizar. Um exemplo é fazer uma lista de compras de supermercado. Isso evita com que se compre produtos que não precisa ou gaste demais sem perceber.


4. Defina objetivos


Muitas pessoas conseguem guardar dinheiro, mas não veem propósito no ato e acabam desistindo da tarefa. O que acontece é que poupar sem ter objetivos definidos não é uma boa estratégia.


É importante que exista uma meta para o dinheiro. O intuito deve ser claro e funcionar como um motivador adicional para você continuar economizando no futuro.


Depois de definir os objetivos, estabeleça prazos para cada um deles. Dependendo do tempo, do seu perfil e das suas necessidades, você deverá alocar as quantias em investimentos diferentes. Eles podem ser mais ou menos arriscados, com menor ou maior potencial de retorno.


5. Monte uma reserva de emergência


Ter uma reserva de emergência é uma forma de estar preparado para imprevistos. Ela representa o dinheiro guardado para continuar suprindo seus gastos e mantendo seu padrão de vida por um determinado tempo, mesmo diante de intempéries.


O dinheiro só deve ser utilizado em situações de imprevistos sérios, como em caso de perda de emprego. O valor que você deve guardar dependerá dos seus gastos mensais — mais um motivo para definir suas despesas com atenção.


Em geral, o recomendado é que você tenha, no mínimo, 6 meses do seu custo de vida disponível. Ao definir o investimento onde o dinheiro será mantido, busque por alternativas que ofereçam segurança e liquidez.



6. Quite suas dívidas


A maioria dos investimentos, especialmente os de baixo risco, tem rentabilidade muito inferior às taxas de juros cobradas pelas dívidas. Como é difícil conseguir rendimentos acima delas, o ideal é que você foque em quitar as dívidas antes mesmo de investir.


A renegociação das pendências é um dos focos da organização da vida financeira. Normalmente, as empresas e instituições oferecem descontos ou possibilidades de pagamento mais atrativas para quem se compromete a quitar uma dívida.


Enquanto se esforça para quitar, você pode aproveitar o momento para aprofundar seus estudos sobre finanças e investimentos. Isso é importante para conhecer o mercado e as suas possibilidades. Depois, comece a buscar boas oportunidades e avalie as que mais se adéquam ao seu perfil.


Leia também: Qual é o seu perfil financeiro? Poupador, gastador, financista ou outro da lista?


7. Aprenda a investir


Quem tem as finanças organizadas pode aproveitar os benefícios dos investimentos. Existem diversos materiais que ajudam a conhecer o mercado financeiro e a aprender a investir. Por exemplo, textos em blogs educacionais, vídeos, cursos, e-books e outros.


É sempre importante buscar fontes de conhecimento confiáveis. Também é válido se manter atualizado sobre o que acontece no âmbito político e econômico ao redor do mundo. Afinal, eles podem afetar diretamente os seus investimentos.


Você também pode gostar: Como começar a investir: confira este passo a passo | Gustavo Cerbasi


8.Faça aportes constantes


Quando o assunto é investimento, disciplina é fundamental. Normalmente, o recomendado é que você invista todos os meses uma porcentagem da sua receita. Os investimentos devem ser vistos como uma conta — que você paga a si mesmo todos os meses.


Essa estratégia é útil para aumentar o seu capital e conseguir alcançar os seus objetivos mais rapidamente. Assim, será possível organizar sua vida financeira e aproveitar o potencial dos juros compostos a seu favor.


9.Use a tecnologia como aliada da sua vida financeira


A tecnologia pode ser uma grande aliada do investidor. Hoje, existem diversas ferramentas e aplicativos que podem ser utilizados para administrar as finanças pessoais no dia a dia e facilitar a rotina. Inclusive, muitos deles são gratuitos.


Os aplicativos ajudam a organizar as finanças, a economizar, a fazer planejamentos e a acompanhar os seus investimentos. Uma vantagem é que as ferramentas costumam ser intuitivas e simples de usar.


Organizar a sua vida financeira pode parecer uma tarefa difícil, mas nossas 9 dicas conseguem facilitar o processo. Com pequenas mudanças na rotina, você se torna capaz de planejar melhor seus gastos e até mesmo fazer bons investimentos para ver seu patrimônio crescer!


Gostou do conteúdo? Lembre-se de que você pode contar com o BTG Pactual digital — o maior banco da América Latina — para fazer seus investimentos e organizar sua vida financeira cada vez mais! Clique aqui e abra sua conta!


Leia também: Como prosperar: dicas para manter seu patrimônio em crescimento



O conteúdo disposto neste artigo foi originalmente publicado no blog do BTG Pactual Digital, sendo toda a responsabilidade, direitos autorais e crédito devido a seus autores.