Como investir em Debêntures Incentivadas


Com a queda da taxa Selic nos últimos anos, as debêntures incentivadas são uma alternativa em renda fixa que os investidores têm buscado como forma de diversificar sua carteira.


As debêntures incentivadas são uma forma de emprestar seu recurso para grandes empresas e assim receber juros acrescidos do IPCA, podendo ser utilizadas para manter o poder de compra ao longo do tempo e se proteger da inflação.


Um outro grande diferencial do produto é a isenção do Imposto de Renda. Como incentivo ao desenvolvimento da infraestrutura de nosso país, o governo via Lei 12.431 de 2011 concedeu a isenção de IR nesse investimento para pessoas físicas tanto no pagamento de juros quanto no ganho de capital.


O que é o IPCA?

IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) é o índice oficial da inflação do país. Ele é medido em várias cidades através da evolução dos preços de produtos comuns à cesta da maioria das famílias de nosso país. Não entram na conta apenas alimentos e produtos do cotidiano, mas também itens como energia e outros serviços.


Rentabilidade das debêntures incentivadas

As debêntures são remuneradas pela taxa definida no momento da compra. O emissor irá se basear nas taxas oferecidas pelo Tesouro Nacional para definir qual será a remuneração de seu papel geralmente mais um prêmio sobre essa remuneração, uma vez que o investidor irá estar exposto ao risco da empresa e não do país (Exemplo: NTNB 2045 + 2 % a.a).


Os juros acumulados podem ser pagos semestralmente ou anualmente e a debênture poderá ter também amortizações. Em casos em que há amortização, o investidor começa a receber parte do principal investido antes do vencimento. As informações sobre o pagamento dos juros e amortizações estarão disponíveis no momento da aplicação ou no prospecto preliminar em casos de ofertas públicas.


Existe risco?

O maior risco desse tipo de investimento é o risco de crédito, que é a capacidade do emissor em honrar com os prazos e taxas acordadas na emissão do produto. Esse tipo de título não possui garantia do FGC (Fundo Garantidor de Créditos), dessa forma, a empresa emissora poderá ofertar ou não garantias, como por exemplo, ativos da própria companhia.


Visando medir o grau dos riscos desse investimento, muitas debêntures possuem uma classificação de risco denominada Rating. Essa “nota” é emitida por agências de classificação internacionais ou nacionais. As três maiores globalmente são Moody’s, Standard and Poors e Fitch Rating. Basicamente, quanto maior o rating de um título, maior é a qualidade do crédito visto por essa agência de classificação.


Prazos e liquidez

As debêntures incentivadas são investimentos indicados para o médio e longo prazo, mas diferentemente dos papéis bancários, dependendo da emissão, possuem uma maior liquidez no mercado secundário, sendo possível a venda antes do vencimento. Em casos como este, o Assessor do cliente pode fazer a cotação do papel para venda antes do vencimento, estando o investidor sujeito a variação do preço do título no período.


Como investir nesse produto?

Através da plataforma do BTG Pactual Digital é possível aplicar em debêntures incentivadas. Contate seu assessor para saber as opções disponíveis.


Ainda não é cliente? Clique aqui e abra sua conta!



O conteúdo disposto neste artigo foi originalmente publicado no blog do BTG Pactual Digital, sendo toda a responsabilidade, direitos autorais e crédito devido a seus autores.