Como funciona a subscrição de Fundos Imobiliários (FIIs)


Direito de subscrição é um direito de preferência do acionista para adquirir novas ações quando há o aumento de capital de uma companhia, evento bem comum no mercado de capitais. É um benefício que pede uma atitude por parte do acionista, Subscrever ou Vender o Direito.



Como funciona?

Se o acionista desejar exercer o direito de subscrição ele deve expressar a sua vontade de subscrever as ações, via site ou App do BTG Pactual Digital.


Caso o acionista decida por não comprar novas ações, ele pode vender o seu direito de compra, negociado em ambiente de Bolsa.


O direito de subscrição de Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) geralmente vem acrescido do número 12 ao final do código do ativo. Irá aparecer na carteira do cliente a proporção do direito, sempre baseado na quantidade do ativo original que o investidor já possui.


Por exemplo, vamos imaginar um investidor que possua 1.000 BCFF11 em carteira. Na data de 23 de setembro de 2019 ele ganhou o direito de subscrição do ativo base BCFF11, portanto, em sua conta aparecerá 417 BCFF12, quantidade proporcional às possuídas. Será um novo ativo em sua custódia, porém este tem validade pré-determinada.


Os FIIs estabelecem uma data para que os cotistas exerçam seu direito de subscrição, essa data é divulgada através de comunicados divulgados pelo fundo no site da B3.


Para exercer o direito, basta acessar a área logada do portal de clientes BTG Pactual digital e seguir o caminho: Investimentos à Renda Variável à Subscrição à Aplicar.


Após o pedido de subscrição feito e liquidado financeiramente, de acordo com as datas estipuladas pela companhia emissora, será incluído o recibo de subscrição na carteira do acionista, substituindo o numeral 12, referente ao direito, pelo número 13, como recibo.


Em nosso exemplo, investidor que subscreveu 417 BCFF12 agora, após a liquidação, ficou com 417 BCFF13.


Este recibo, após a homologação da operação na Bolsa, será adicionado à posição do ativo base na carteira do investidor.


Continuando nosso exemplo, o investidor ficará ao final com 1417 BCFF11, pagando R$ 85 por um ativo que estava sendo negociado a aproximadamente R$ 92.


Follow-on em Oferta Pública

Outro meio de aumentar ou adquirir posição no ativo, é feito por um processo chamado Follow-on, via Oferta Pública. Tanto na subscrição quanto via Follow-on, o interessante é a possibilidade de negociar o ativo a um preço mais atrativo do que o negociado no momento no mercado.


O Follow-on é uma nova oferta de ações ao mercado realizada por empresas que já são listadas em bolsa. Porém, nessa oferta podem participar investidores que já possuem o ativo em custódia e novos investidores, sem posição em carteira.


Este processo destina-se aos investidores em geral, acontece de forma aberta na Bolsa de Valores. A empresa deve informar claramente, por meio de comunicados e prospectos ao mercado, todas as informações sobre a oferta, como o número de ações ofertadas, o objetivo da emissão e todos os demais fatos envolvidos.


Para participar de nossas ofertas públicas basta clicar em Investimentos à Ofertas Públicas.


Clique aqui para ver quais ofertas temos no portal atualmente.



O conteúdo disposto neste artigo foi originalmente publicado no blog do BTG Pactual Digital, sendo toda a responsabilidade, direitos autorais e crédito devido a seus autores.