CDB com rentabilidade de quase 11% ao ano, prazo está chegando ao fim


Dizem por aí que a renda fixa está morta.


A verdade, contudo, é que ela não apenas segue viva, como ainda reserva boas oportunidades e se mantém como opção necessária para um portfólio diversificado e equilibrado.


Por mais que a taxa Selic esteja na mínima histórica, você deve buscar um destino melhor do que a poupança para a fatia mais conservadora de sua carteira, que sempre será uma importante aliada na construção sustentável de patrimônio no longo prazo.


O conselho faz ainda mais sentido diante de um cenário repleto de incertezas, como o atual.


Vejamos, por exemplo, o que nos dizem os juros futuros, que nada mais são do que uma estimativa do mercado para o valor dos juros em alguns meses ou até mesmo anos.


Para criar essa previsão, os agentes do mercado levam em consideração os fatores que mais impactam a Selic, em especial a inflação.


Acontece que, de algum tempo para cá, temos visto uma pressão inflacionária inesperada no Brasil, com os preços de muitos produtos básicos subindo por conta da alta do dólar e pelo impacto do pagamento do auxílio emergencial à boa parte da população.


Esse aumento rápido da inflação tem obviamente provocado uma inversão das expectativas do mercado, que já prevê um novo ciclo de alta para o juro básico brasileiro ao longo do ano que vem.


Hoje, olhando para a curva de juros futuros, o mercado está dizendo que a Selic pode terminar 2021 em 5,00%, mais que o dobro do patamar atual.


Não faço ideia se o mercado está certo ou errado, mas não há como negar que a trajetória da taxa de juros para o próximo ano é sim ascendente.


A incerteza, aliás, é algo que faz parte da vida de um investidor. Assumir nossa ignorância sobre o futuro nos deixará em uma condição muito melhor para conseguir prosperar nossas finanças independente do que aconteça.


Na virada de 2019 para 2020, por exemplo, era praticamente consenso entre os especialistas que a renda variável despontaria como a alternativa mais óbvia de investimento em tempos de Selic mais baixa.


Ninguém contava, no entanto, com a chegada de uma pandemia que virou de cabeça para baixo a economia e provocou uma volatilidade muito acima da média não só na Bolsa brasileira, mas nos principais mercados do planeta.


Não estou dizendo para você ficar longe das ações, que sempre reservam ótimas oportunidades de multiplicação de capital para os investidores que possuem maior disposição a correr riscos.


Meu ponto aqui é que o caminho para ser bem-sucedido nos investimentos ao longo da vida passa necessariamente pela diversificação, o que inclui reservar uma parcela do seu patrimônio para aplicações de renda fixa, independente do cenário e do seu perfil.


Pensando nisso, em comemoração à nossa Blue Week, estamos com uma oportunidade única em CDBs do Banco Digimais e do NBC Bank.


Com prazos de 60 meses e aplicação inicial mínima de R$ 10.000,00, eles oferecem remunerações pós-fixadas de 155% do CDI ou prefixada próxima a 11% a.a., extremamente atrativas para o atual cenário da renda fixa.


A título de comparação, o prefixado está pagando uma rentabilidade equivalente a mais de cinco vezes o retorno da poupança, a qual dificilmente você vai encontrar em outro CDB disponível no mercado.


Mas você precisa correr, pois os CDBs do Digimais só ficarão na plataforma até o dia 20/11, enquanto os do NBC Bank só até a outra sexta-feira (27)!


Para investir, basta entrar na página de Renda Fixa em sua área logada ou em nosso catálogo no site, podendo filtrar por ‘Banco Digimais’ ou ‘NBC Bank’ no campo ‘Emissor’.


Lembrando que a modalidade possui o respaldo do FGC (Fundo Garantidor de Créditos), que garante o saldo das aplicações em até 250 mil reais mil por CPF.


Em caso de dúvidas ou para mais esclarecimentos, entre em contato com seu assessor de investimentos.



O conteúdo disposto neste artigo foi originalmente publicado no blog do BTG Pactual Digital, sendo toda a responsabilidade, direitos autorais e crédito devido a seus autores.