A crise na bolsa de valores e o seu bolso | Gustavo Cerbasi


Bolsas em baixa histórica, performances negativas em fundos de renda fixa… Será o apocalipse?


Certamente não. O que estamos assistindo – ou melhor, vivendo – é mais uma grave crise nos mercados financeiros, daquelas que estávamos muito acostumados a presenciar, mas das quais já havíamos esquecido, diante de tamanha bonança nos últimos anos.


Até onde ela vai, ou quanto tempo vai durar, ninguém sabe. Se alguém disser que sabe, ignore-o, pois é mais um futurologista que não merece crédito.


Neste artigo, algumas reflexões e lições a serem aprendidas com esta crise na bolsa e a relação com o seu bolso.


Aja racionalmente


Se há alguma recomendação durante uma crise, é a de não adotar atitudes emocionais ou influenciadas por medo.


Sim, seus investimentos em renda variável estão valendo muito menos do que há alguns meses. Mas, se você possui ações de empresas saudáveis, não é o momento de vender seus ativos subvalorizados, a não ser que precise muito do dinheiro neles investido. Se este for o caso, vale o puxão de orelha: você não deveria estar especulando suas necessidades de uso de dinheiro em renda variável.


Quem pode esperar certamente terá um bom dinheiro a recuperar após o final da crise. O problema é que isso pode acontecer no próximo mês, no próximo ano ou na próxima década… ninguém sabe quando. Mas se seu investimento é de longo prazo, mantenha a calma e espere.


Quem tem dinheiro para investir está diante de um momento propício para fazer boas escolhas. Só não se esqueça de acompanhar as recomendações de especialistas, pois, no contexto atual, cada empresa será impactada de uma maneira diferente.


Lições de uma crise na bolsa de valores


No final das contas, essa crise reforça os mesmos aprendizados que todas costumam deixar.


Quero enfatizar três lições principais:


Não existe dinheiro fácil. Se você estiver ganhando na moleza, é hora de rever sua estratégia e mudar de investimento.


Por mais que um investimento lhe pareça muito atraente, diversifique. Quem mantém há tempos uma saudável estratégia de diversificação está perdendo na renda variável, mas ganhando na renda fixa.


Investimento de risco precisa do tempo trabalhando a seu favor. Não tenha pressa.


Você também pode gostar:



Conclusão


A crise na bolsa de valores repercutiu como um exemplo de que investir em ações envolve elevado risco. Esse risco se traduz na alternância de períodos de fortes ganhos com outros de perdas, mesmo que estas sejam resultantes de uma simples realização de lucros – que não é o caso da crise recente.


Porém, quem direcionar suas fichas para essa modalidade de investimento deve estar preparado para turbulências de qualquer tipo. Não apenas para suportá-las, mas principalmente para evitar a euforia de investir quando muitos já estiverem comemorando lucros, e ter paciência e disciplina para aguardar uma nova crise na bolsa – situação ideal para investir de maneira concentrada em ativos baratos. Afinal, é nas quedas do mercado que os preços despencam e o investimento em ações mostra-se um grande negócio.


Quando todos estiverem exaltando o bom momento dos investimentos, segure seus impulsos e invista de maneira conservadora. Nas crises, abandone seu conservadorismo e faça escolhas que permitam bons saltos em seu patrimônio. É nesses períodos que começam as belas histórias de investidores de sucesso.



O conteúdo disposto neste artigo foi originalmente publicado no blog do BTG Pactual Digital, sendo toda a responsabilidade, direitos autorais e crédito devido a seus autores.